domingo, novembro 18, 2012

CALPROTECTINA


CALPROTECTINA

A doença inflamatória intestinal, na qual se inclui a doença de Crohn, é uma patologia crónica marcada por episódios recorrentes de inflamação do tracto gastrointestinal. A sintomatologia é um indicador importante de actividade da doença, mas tem as dificuldades da subjectividade, e pode ser devida a outras doenças que o indivíduo tenha concomitantemente.
Parâmetros séricos e hematológicos são muito usados na monitorização da actividade da doença de Crohn, mas apresentam baixa sensibilidade e especificidade na inflamação intestinal, bem como pobre correlação com sintomas e actividade da doença básica.
A endoscopia com biópsia é o exame por excelência da monitorização da doença de Crohn. A calprotectina é um novo marcador, simples, rápido, sensível, específico, acessível e não invasivo para o diagnóstico e follow-up da doença de Crohn. A calprotectina é uma proteína amplamente distribuída no organismo, transportadora de cálcio e zinco, pertencente ao grupo da S100 e derivada predominantemente dos neutrófilos. Níveis elevados de calprotectina fecal encontram-se, constantemente, em pacientes com doença activa. A calprotectina apresenta-se no citosol dos neutrófilos, conhecida como marcador inespecífico de inflamação sistémica, quando determinada no soro. Tem uma função regulatória nas inflamações e recruta monócitos com actividade microbicida, anti-proliferativa e anti-tumoral.
A calprotectina fecal apresenta:
  • redução acentuada quando a resposta ao tratamento é boa, sendo por isso um indicador fiável na avaliação da eficácia do tratamento
  • capacidade de distinguir a doença inflamatória intestinal do síndrome do intestino irritável
  • alto valor preditivo negativo
  • boa correlação proporcional ao grau de inflamação da mucosa intestinal
Este exame tem a vantagem de ser de fácil realização pois a amostra é de fácil colheita.
Calprotectina fecal elevada pode significar doença activa. A calprotectina é também um óptimo marcador de recidivas, dando uma indicação importante para adaptar o tratamento dos doentes, aliviando a intensidade de possíveis recaídas.
A calprotectina fecal apresenta-se numa concentração 6 vezes superior à concentração sérica. Tem propriedades bacteriostáticas e fungicidas, e seus níveis plasmáticos se elevam de 5 a 40 vezes na presença de processos infecciosos e inflamatórios.
A calprotectina é uma proteína muito estável e resistente à degradação proteolítica das fezes.
De todos os marcadores de fase aguda da inflamação, a PCR é a mais estudada, e vem dando excelentes resultados, pois é um marcador objectivo da inflamação e se correlaciona bem com o grau de actividade, elevando-se precocemente no início da inflamação e diminui paralelamente com sua resolução. A PCR, foi demonstrado, relacionar-se melhor com a actividade da doença inflamatória intestinal na doença de Crohn que na colite ulcerosa.
Outros marcadores laboratoriais são usados, tais como VS, contagem de leucócitos, contagem de plaquetas, albuminemia e orosomucoide, mas são menos fiáveis que a PCR. A VS apresenta várias limitações técnicas, como seja a semivida média prolongada e seus valores dependem de muitos factores como idade, anemia ou policitemia, niveis séricos de certas proteínas, tabagismo, terapêutica com vários fármacos, pelo que a sensibilidade e especificidade da VS é muito menor que a da PCR nos processos inflamatórios. A calprotectina fecal apresenta-se como promissor marcador dos processos inflamatórios, embora a sua sensibilidade diagnóstica é muito superior na colite ulcerosa comparativamente com a verificada na doença de Crohn.
A calprotectina fecal é um marcador que reflete a presença e o grau de inflamação intestinal. Sua utilização tem sido importante na realização de diagnóstico diferencial e no seguimento dos doentes.

A calprotectina foi o único biomarcador que conseguiu discriminar entre leve, moderada ou alta a actividade da doença de forma fiável, sendo muito útil para a monitorização da doença de Crohn.
Convém recordar que, doentes a fazerem corticoterapia para uma doença inflamatória intestinal apresentam uma descida paulatina da calprotectina fecal em relação com a melhoria clínica observada, permanecendo elevada, inclusivé várias semanas após o tratamento, o que sugere que existe uma inflamação silenciosa prolongada após a melhoria clínica alcançada.
A determinação de calprotectina fecal não é um marcador de doença orgânica intestinal, mas sim um parâmetro de medição de inflamação intestinal neutrofílica. Um resultado negativo da calprotectina fecal, não deveria ser interpretado como ausência de patologia orgânica intestinal, mas sim, como ausência de inflamação intestinal por neutrófilos. 

96 comentários:

  1. gostaria de saber o resultado do meu exame da calprotectina fecal foi de 178,5 isso significa alguma coisa grave

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Na interpretação dos valores de calprotetina fecal há que ter em conta que há 2 formas de os expressar, sendo que uma utiliza ng/ml como unidade e a outra usa mg/Kg, havendo uma correspondência entre ambos os sistemas da forma em que 2.5 ng/ml equivalem a 1 mg/Kg. Cada laboratório costuma ter o seu valor de referência acima do qual o valor obtido para o doente é anormal, comummente referido como patológico.
      A calprotetina indica que há inflamação histológica e os valores da calprotetina correlacionam-se bem com a gravidade da inflamação, a extensão da doença e a combinação de ambas. O valor da calprotetina está limitado aquando do uso de anti-inflamatórios, inibidores da bomba de protões e doentes com cirrose hepática.
      A calprotetina pode ser usada em familiares de doentes com doença de Crohn, sendo que em 49% destes familiares está aumentada mas só 5-10% desenvolvem a doença.
      Desta forma o seu valor de 178.5, ainda que não seja totalmente normal, terá de ser visto na base destes da dos referidos, podendo não significar nada de cuidado ou ter de ser visto com mais atenção pelo seu médico.
      Grato pela questão colocada

      Eliminar
  2. Boa tarde!!
    Tenho resultado de calprotectina de 206,0 (microgr/g) e VHS e PCR estão em níveis normais (15mm e 1,4 respectivamente). Faço uso de mesalazina há 5 meses após uma crise e diagnóstico de retocolite ulcerativa. Neste contexto devo concluir que não houve remissão da doença?
    Obrigada
    Att Sandra

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom dia
      Agradecendo a questão que colocou a minha resposta é " Não necessariamente".
      A retocolite ulcerosa é uma doença inflamatória intestinal crónica que não tem cura médica actualmente, mas que pode ser controlada permitindo uma vida activa perfeitamente normal e uma esperança de vida idêntica à das pessoas saudáveis. Está, no entanto, sempre sujeita a surgimento de um período de crise com sintomatologia que, geralmente, é controlável pela medicação e torna o doente assintomático.
      Como se dise a calprotectina não desce abruptamente pela instituição de terapêutica mas sim paulatinamente, pelo que o valor referido pode ser um valor em descida que ainda não atingiu o valor de referência mas para lá caminha.
      Também, como se referiu, a calprotetina fecal não é um marcador de doença orgânica intestinal mas sim um parâmetro de medição de inflamação intestinal neutrofílica, que pode ser a retocolite ulcerativa ou outra situação que tenha surgido de forma passageira.
      Também o valor da calprotetina subir, ocasionalmente, ao longo do decorrer da doença inflamatória intestinal e logo descer para valores de referência, é frequente e tal não indica que a doença esteja a sofrer uma crise.
      Desta forma, e caso a clínica não tenha sofrido alteração, será aconselhável repetir o doseamento dentro de 2-3 meses após o primeiro e verificar o comportamento da concentração de calprotetina juntamente com o seu médico
      Grato pela questão colocada

      Eliminar
    2. Um resultado de 420 UG/g pode interpretar-se como?

      Eliminar
    3. Boa tarde

      Um resultado de 420 µg/g é um valor muito alto de calprotetina fecal ( valor de referência: < 50 µg/g ) podendo significar estarmos perante uma patologia inflamatória intestinal neutrofílica, devendo ser investigado.

      Eliminar
  3. Boa noite!
    O meu exame de calprotectina deu um resultado de 1.800 e faço uso de corticoides, MTX, Adalimumabe e antibióticos, meu PCR está normal e aparentemente estou bem. Este resultado de que forma pode ser interpretado?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa noite
      A calprotetina é o único biomarcador que conseguiu descrimininar entre lesão moderada e alta a actividade da doença de forma fiável, sendo muito útril para a monitorização da doença de Crohn
      Doentes a fazerem corticoterapia para DII apresentam descida paulatina da calprotetina fecal em relaçãlo com a melhoria clínica observada. De referir que o estado clínico ( sintomatologia ) nem sempre se correlaciona paralelamente ao estado de evolução histológica da doença, parâmetro este que é o melhor indicador da evolução da doença.
      De importancia também referir que a calprotetina não é um marcador da doença orgânica intestinal, mas sim um parâmetrode medição de inflamação intestinal neutrofílica ( a calprotetina existe nos grânulos dos neutrófilos ). Um resultado negativo, da calprotetina fecal não deve ser considerado como ausência de patologia orgânica intestinal, mas sim, como ausência de inflamação intestinal por neutrófilos, assim como o contrário, um resultado positivo deve ser interpretado como presença de inflamação intestinal por neutrófilos mas não obrigatoriamente presença de doença orgânica intestinal inflamatória.
      De referir que doentes a fazerem corticoterapia e/ou "mab's" apresentam por vezes subidas transitórias da calprotetina fecal que volta a descer e não se relaciona com pioria do estado da patologia, que como se sabe não cura mas sim entra em remissão.
      Assim, em princípio deverá repetir a análise da calprotetina dentro de 3 meses e verificar se os valores estão alterados pois a análise em que teve 1800 ( ng/ml ou mg/Kg ??? não esquecer de converter as unidades para as do valor de referência ) pode ter sido perturbada por alguma alteração passageira, independente da sua doença, mas que tenha provocado uma neutrofilia passageira ( tão simples quanto uma antibioterapia, por exemplo, com desregulação da flora intestina. Atenção que ao dizer "tão simples como..." não estou a dizer que não tenha importância clínica e que até possa desencadear uma nova crise mas que não é provável dado o estado clínico se manter bom )

      Eliminar
    2. Bom, o meu médico ficou um pouco assustado com o resultado. Infelizmente não vi o exame, ele apenas falou o valor. E a colonoscopia também deu muito alterada, desde que comecei fazer tratamento com biológicos que já tem quase 3 anos meu intestino continua inflamado e com sangramento, vou bastante ao banheiro, mas não tenho diarreia nem dor. Por causa desses resultados e sangramento excessivo os médicos decidiram me encaminhar para cirurgia, pois eles temem por coisa pior! Obrigada pelo resposta!

      Eliminar
  4. OLA B TARDE FIZ UM EXAME DE CALPROCTECTINA E DEU UM VALOR 216 TAMBEM FIZ OUTROS MARCADORES COM ANCA E PANCA QUE DERAM NEGATIVOS MINHA PERGUNTAPOIS ESTOU A 7 MESE TENTANDO FECHAR UM DIAGNOSTICO POIS A MINHA COLO DEU NA BIOPSIA COLITE CRONICA LEVE INESPECIFICA. Minha pergunta Esse marcador indica que eu estou com alguma doença talvez no começo ou pode ser só alguma inflamação que tenha dado por alguma alteração pois me IGE DEU MUITO ALTO desde já agradeço a atenção

    ResponderEliminar
  5. Boa noite

    O marcador fecal calprotetina não é capaz de fazer um diagnóstico concreto. Ele indica que há inflamação por neutrófilos. Nas doenças inflamatórias intestinais, como colite ulcerosa ou doença de Crohn é normal que a calprotetina suba para valores que podem ser muito altos, mas não são as únicas doenças que fazem subir a calprotetina fecal. Infecções intestinais como algumas gastroenterites, desde que sejam acompanhadas por infecção neutrofilica, apresentam também calprotetina elevada.
    Se os valores de nANCA e pANCA vieram negativos era conveniente fazer ASCA antes de enveredar por outros exames. Caso venha positivo ASCA IgA e/ou ASCA IgM deverá pensar numa doença de Crohn, isto se a sintomatologia acompanhar esta suspeita e recorrer ao seu médico para seguimento conveniente. Em nenhuma situação deverá deixar de recorrer ao seu médico pois este tipo de doenças dão muitas alterações da constituição do organismo ( alterações de iões, vitaminas, etc.) pelo que apenas um acompanhamento cuidado será adequado.
    O valor que apresenta de calprotetina indica apenas que alguma inflamação por neutrófilos está a ter mas que precisa ser mais investigado, provavelmente mas não seguramente dirigido para alguma doença inflamatória intestinal

    ResponderEliminar
  6. Estou com dificuldade para encontrar um local para realizar o exame de calprotectina em São Paulo, teria algum lugar para indicar?


    Obrigado

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa tarde
      Infelizmente não o posso ajudar pois não vivo em S. Paulo mas seguramente que um hospital como o Sírio- libanês ou o Einstein realizm essa análise

      Eliminar
    2. Marcel boa noite, meu filho tem crohn e realizo no salomão zoopi custa R$600,00.

      Eliminar
    3. Fiz o da minha filha no Albert Einstein por 320,00

      Eliminar
    4. Einstein é 320, no Fleury custa mais de 700 e no delboni paguei menos de 200

      Eliminar
    5. Paguei 150,00 no CDB unidade Tatuapé.

      Eliminar
  7. Por Favor, o exame da Calprotectina consta nos códigos da tabela CBHpm?
    Qual número?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom dia
      Essa pergunta sai fora do âmbito deste blogue uma vez que se trata de uma questão específica interna do Brasil visto o CBHpm ser uma entidade brasileira com aplicação estrita ao território do Brasil. Posso dizer que no meu país a calprotectina não faz parte das listagens correspondentes à do CBHpm, sendo apenas realizada de forma particular mediante requesição médica. Desta forma, lamento mas não o posso ajudar neste aspecto.

      Eliminar
  8. meu resultado da calprotectina deu 680 µg/ml, pode me ajudar a decifrar o que isso significa?

    ResponderEliminar
  9. Boa tarde
    Calprotectina fecal é um biomarcador da doença inflamatória intestinal, simples, rápido, sensível, com boa específicidade, acessível e não invasivo. A calprotetina encontra-se no citosol dos neutrófilos. A calprotectina sérica é um marcador inespecífico de inflamação sistémica quando determinado no soro.
    A calprotectina é um indicador fiável da avaliação da eficácia do tratamento e tem um alto valor preditivo negativo ( quando é inferior a 50 μg/ml é quase totalmente certo não ter lesão inflamatória ) e tem boa correlação proporcional ao grau de inflamação da parede intestinal.
    Calprotectina fecal elevada significa doença activa praticamente seguro.
    Dado a doença de Crohn ser uma doença transmural, pode atingir camadas da parede intestinal mais profundas e não a mucosa, pelo que um valor alto de calprotectina pode existir mesmo em casos em que a colonoscopia seja normal. A calprotectina, mais que com o padrão colonoscópico da doença de Crohn, correlaciona-se com o padrão histológico, ou seja permite ter uma visão mais exacta da efectiva existência de lesão.
    A determinação de calprotectina fecal não é um marcador de doença orgânica mas sim um parâmetro de inflamação intestinal netrofílica, ou seja, pode ser ma lesão que não a doença de Crohn a existente.
    O valor de referência da calprotectina é inferior a 50 μg/ml, pelo que o seu valor é alto indicativo de doença inflamatória netrofílica, possivelmente uma doença inflamatória intestinal que, em mais de 80% das situações, é uma colite ulcerosa ou doença de Crohn. Deverá assim despistar estas doenças em conjunto com o seu médico assistente e proceder ao conveniente tratamento.

    ResponderEliminar
  10. Ola boa tarde, a um ano tento fechar um diagnostico a minha calprotectina em janeiro deu 212 o meu anca e panca e asca deram negativos a minha colo deu colite crônica inespecífica leve em todo colon cheguei a perder na época 8 kilos. Hoje mantenho um quadro instável. . O meu Ige deu altíssimo em torno de 1900 . A minha pergunta e meu quadro é muito parecido com o do Felipe, esse marcador indica que estou com alguma doença ou pelo meu ige estar muito alto pode ser gastroenterite eusinofila ela também faz calprotectina alterada

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom dia
      A gastroenterite eosinofílica é uma entidade extremamente rara, com cerca de 300 casos descritos no mundo, pelo que pela sua raridade nunca pode ser um diagnóstico que se pense fazer antes de excluir todas as outras causas que possam dar sintomatologia semelhante à que a gastroenterite eosinofílica pode causar. De qualquer forma o diagnóstico definitivo de gastroenterite eosinofílica não é feito por exames laboratoriais mas sim por exame histológico onde terão de ser identificadas infiltrações por eosinófilos. Desta forma, pelos dados que me forneceu não posso dar-lhe mais informações sobre a possibilidade de diagnóstico mas volto a frizar que gastroenterite é uma entidade patológica muito rara e só se pode fazer esse diagnóstico com evidência de exclusão de todas as outras patologias capazes de provocar essa sintomatologia.

      Eliminar
  11. Olá. Meu exame deu 66,9 (indeterminado). O que isso significa? O que devo fazer?

    ResponderEliminar
  12. O valor de cut-off é de 50 microgramas por mililitro, acima do qual o valor já não é considerado normal. No entanto, até um valor de 100 microgramas por mililitro não dá uma indicação segura de ser patológico. É como uma zona cinzenta que aconselha a repetição para confirmação ou não de estarmos perante uma situação patológica, obviamente partindo do princípio que este valor não sucede a outros mais elevados e que na sua trajectória para valores normais ainda não atingiram essa normalidade.
    Sendo assim penso que será de repetir dentro de 3 meses, após a data da colheita da amostra que deu o seu resultado indicado.

    ResponderEliminar
  13. Minha colonoscopia apresentou mucosa ileal com discreto infiltrado linfocitário, edema e nódulos linfóides no córion e o exame de calprotectina 751,2 mcg/g sendo o valor de referência negativo -inferior a 50 mcg/g. Não tenho a Helicobacter pylori no estômago! Só esses exames já confirmam a doença? o que vcs acham? Marestela Moreira

    ResponderEliminar
  14. Boa tarde
    Pelos valores dos exames que indica pode-se deduzir que tem uma doença colónica de infiltração neutrofílica. A calprotectina não é um marcador de doença orgânica mas sim um marcador de inflamação intestinal neutrofílica. Para fazer um diagnóstico definitivo outros exames são necessários.
    Obrigado pela pergunta

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa noite
      A resposta imediata a esta pergunta é que o seu médico assistente é a pessoa indicada para lhe responder a essa questão. No entanto posso indicar-lhe uns links, de posts deste blogue, que lhe poderão dar algumas indicações eventualmente úteis.

      http://www.ddcnovasprespectivas.blogspot.pt/2012/11/utilidadede-biomarcadores-na-doenca_18.html

      http://www.ddcnovasprespectivas.blogspot.pt/2012/11/biomarcadores-nao-invasivos-da-doenca.html

      http://www.ddcnovasprespectivas.blogspot.pt/2012/12/doencade-crohn-doenca-de-crohnfaz-parte.html

      http://www.ddcnovasprespectivas.blogspot.pt/2012/12/doencainflamatoria-intestinal-adoenca.html

      http://www.ddcnovasprespectivas.blogspot.pt/2013/11/anti-citrulina.html

      http://www.ddcnovasprespectivas.blogspot.pt/2014/08/anti-cbir1-ompc-i2-oligomannan-asca.html

      Eliminar
  15. Doença celíaca , justificaria o valor da calprotectina?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa noite

      A determinação da calprotetina fecal não é um marcador de doença orgânica intestinal mas sim um parâmetro da medição de infiltração intestinal neutrofílica. Desta forma, e dado a doença celíaca, por si só e sem complicações secundárias, não ser uma patologia em que os neutrófilos fecais intervenham, não justifica, em princípio e por si só, uma subida de calprotetina fecal

      Eliminar
  16. Ola!
    O uso de colestiramina (questran light) interfere no resultado do exame de calprotectina?

    ResponderEliminar
  17. O meu exame o resultado foi de 829.3 mg/kg de fezes. Eu tive uma diarréia logo depois de uma cirurgia de apendicite aguda e meu médico pediu o exame e o resultado é esse. To muito nervosa. Vou fazer a colonoscopia.

    ResponderEliminar
  18. Boa tarde
    Como se diz no post, a calprotetina não é um marcador de doença orgânica intestinal mas sim um parâmetro de medição de infiltração neutrofilica. A descida do valor da concentração fecal de calprotetina não é imediata mas sim vai-se processando durante algum tempo, ainda que curto.
    Uma situação de apendicite aguda e um pôs-operatório de apendicectomia podem, por si só, causar uma infiltração neutrofilica e dessa forma aumentar a concentração de calprotetina fecal que, em evolução normal, diminuirá em algum pouco tempo pela normal evolução de uma apendicite aguda com apendicectomia, como se espera como evolução normal da situação.

    ResponderEliminar
  19. Verifiquei aqui que valores acima de 50 μg/ml, o meu exame veio com a seguinte descrição: 53,00 mcg/g. As unidades são diferentes? O laboratório indica o seguinte:Vr:
    MENOR OU IGUAL 200 mcg/g. As unidades são as mesmas? O valor de referência do laboratório estaria errada? O meu caso o que significaria? O meu Asca Ig A deu 10,77 e o IGg 38,75.Obrigado!

    ResponderEliminar
  20. Boa noite

    A calprotetina é doseada em μg/ml ou em mg/Kg, sendo que a conversão é feita multiplicando o valor da concentração de calprotetina em ng/ml pelo factor 2,5 resultando daí a concentração de calprotetina em μg/ml ( ou o que é equivalente em mg/Kg ). Assim sendo o seu valor de calprotetina fica dentro do valor referência.

    ResponderEliminar
  21. Boa tarde,
    O resultado do meu exame de calprotectina fecal foi de 8000 mg/kg. Dois dias antes da recolha das fezes ingeri bastante alcool. O alcool pode ter influência e ter alterado os valores da calprotectina fecal? Apesar de ser portador da doença de crohn neste momento não tenho qualquer tipo de sintoma visível (ausência de obstipação, dores abdominais, gases, diarreias, etc.). Ando também a tomar, por indicação médica, corticóides. A médica me mandou repetir por daqui a duas semanas os exames uma vez que nos exames anteriores o meu valor de calprotectina fecal era de +/- 400. Pode o alcool ingerido, misturado com os corticoides ter alterado os valores da calprotectina fecal? Obrigado desde já pelos seus esclarecimentos. Obrigado

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa tarde
      A calprotetina relaciona-se muito bem com o índice histológico e o índice endoscópico mas a correlação é muito menor com o índice clínico, como o CDAI.
      A calprotetina não é um marcador de doença orgânica intestinal mas sim um marcador de inflamação intestinal neutrofílica.
      O álcool é um agente capaz de ajudar a desencadear uma crise da doença de Crohn.
      Assim sendo, o valor de calprotetina ( que tem uma muito alta especificidade ) pode sim estar aumentado pelos efeitos que a ingestão de álcool desencadeou ( mas em princípio se foi uma grande quantidade de álcool e não um ingestão moderada a ligeira ) com um desencadear de inflamação intestinal neutrofílica.
      Há que ter, no entanto, sempre em atenção um possível erro técnico ou mesmo uma outra causa desencadeadora de inflamação intestinal neutrofílica que não a doença de Crohn, pelo que deve ser repetida a análise dentro de 15 dias.

      Eliminar
  22. Boa tarde,
    Encontrei esse site em busca de respostas. De antemão parabenizo pelo trabalho.
    No meu caso, há dois anos a medica quer fechar um diagnostico, embora a mesma já considere e me trate como paciente portadora de Crohn. Fiz a calprotectina e o resultado foi 492 mcg/g. Estou usando coticoide e mesalazina . O exame por ser um marcador de inflamação significa que a minha esta alta?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa tarde

      Calprotetina é um marcador biológico utilizado no despiste da Doença de Crohn, mas de facto o que a calprotetina é, é um biomarcador de medição de inflamação intestinal, que sempre ocorre nas fases activas da Doença de Crohn mas também noutras patologias que nada têm a ver com Doença de Crohn.
      A Doença de Crohn até à data tem a endoscopia como padrão-ouro do diagnóstico mas é certo que a calprotetina se correlaciona muito bem com o índice endoscópico e mesmo o índice histológico, muito mais que com o índice clínico que muitas vezes dá falsos negativos.
      Assim um valor de 492 μg/g de calprotetina é um valor elevado e em princípio correlaciona-se bem com uma situação moderada a grave. Aliás a própria medicação ( corticóide e messalazina ) aponta para uma situação moderada a grave da sua doença pois os corticóides costumam ser administrados a doentes moderados a graves. Há no entanto situações, como estenoses ou outras, que cursam com níveis mais elevados de calprotetina apesar de a situação no global não ser tão acentuado. Desta forma, se em princípio o valor de calprotetina aponta para uma situação moderada a grave, há que investigar outras possíveis etiologias que possam explicar o valor elevado da calprotetina fecal que apresenta.

      Eliminar
  23. Prezado,
    A calprotectina serve para detectar tanto inflamação no intestino grosso, como no delgado? Já li médicos que dizem que serviria apenas para detectar inflamação no intestino grosso e outros, afirmando que o exame é útil para detectar inflamações nos dois órgãos. Qual sua opinião?Obrigado!

    ResponderEliminar
  24. Bom dia

    A determinação de calprotectina fecal não é um marcador de doença orgânica intestinal, mas sim um parâmetro de medição de inflamação intestinal neutrofílica. Um resultado negativo da calprotectina fecal, não deveria ser interpretado como ausência de patologia orgânica intestinal, mas sim, como ausência de inflamação intestinal por neutrófilos.
    Assim a calprotetina, e estamos a falar da calprotetina fecal ( porque também pode ser detetada no soro mas é menos específica, menos sensível e as concentrações são substancialmente mais baixas ) pode indicar patologia tanto do intestino delgado quanto do grosso mas patologia obrigatoriamente com inflamação intestinal com neutrófilos uma vez que a calprotetina se encontra nos grânulos dos neutrófilos.
    Há que notar no entanto a moderad a especificidade mas baixa sensibilidade deste biomarcador fecal para a doença de Crohn no intestino delgado não podendo assim ser utilizado para screening ou exclusão de doença de Crohn do intestino delgado.
    Assim, em resumo: a calprotetina pode indicar inflamação intestinal com neutrófilos no intestino delgado mas um resultado negativo não pode excluir a existência dessa patologia.

    ResponderEliminar
  25. Prezado,
    As inflamações decorrentes de neutrófilos são mais graves?
    O que seria "screening"?

    ResponderEliminar
  26. O resultado do meu exame de calprotectina deu >1000. Minha médica informou que estou com uma inflamação gravíssima no intestino e me pediu vários exames, os quais eu já estou providenciando. Ela comentou sobre a doença de Crohn, já que apresento alguns sintomas da doença, como por exemplo diarreias e dores na barriga. Com esse resultado já está confirmado que eu realmente tenho a doença de crohn??

    ResponderEliminar
  27. Bom dia

    O diagnóstico de Doença de Crohn faz-se por endoscopia sendo que outros exames apontam com muita probabilidade de ser esse o diagnóstico, embora não com certeza absoluta, como é o caso do doseamento de calprotetina fecal que tem uma correlação muito grande com os índices histológico e endoscópico, ou seja quando a calprotetina está elevada é quase certo que no exame endoscópico se diagnosticará a doença de Crohn, mas a certeza só mesmo pela endoscopia é que se pode ter. Por outro lado a calprotetina sempre que está elevada indica com absoluta certeza que há uma inflamação intestinal neutrofílica, o mais das vezes por Doença de Crohn ou colite ulcerosa ( que é uma outra doença inflamatória intestinal ) mas pode eventualmente ser outra doença que não estas.
    Assim a resposta à sua pergunta é não, não está confirmado, mas tem grandes probabilidades de o ser. A confirmar por endoscopia que é o exame para diagnóstico com absoluta certeza.

    ResponderEliminar
  28. Ola, fiz o exame de calprotectina fecal, e meu resultado foi o seguinte:

    CALPROTECTINA FECAL
    110,00
    mcg/g

    Método :
    Imunoensaio Enzimático (Elisa)
    Material:
    FEZES
    VR:
    Menor ou igual a 200 mcg/g

    ___________________

    Ou seja, pelo laboratório que eu fiz(SABIN), o valor de refêrencia é 200mcg/g, mas em todos os lugares que vejo por ai, utilizam 50mcg/g como valor de refêrencia. Afinal, qual é o valor de refêrencia desse exame?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa tarde

      A calprotetina fecal costuma apresentar-se em ng/ml ou mg/Kg ( ou o que é equivalente em μg/g ), sendo que a conversão do valor da concentração da calprotectina fecal se faz multiplicando-se a concentração em ng/ml pelo factor 2.5 para se obter a concentração de calprotectina em μg/g.
      A concentração referência da calprotectina fecal é de 50 μg/g.
      De referir que a concentração de calprotectina fecal em crianças até 1 ano de idade é substancialmente superior aos valores referência acima dessa idade, não tendo no entanto estes valores elevados qualquer significado patológico nessas crianças.
      Desta forma a resposta à sua pergunta é de que o valor referência para a concentração de calprotectina fecal é considerado ser uma concentração até 50 μg/g.

      Eliminar
  29. Ola bom dia. Segue o resultado do meu exame da Calprotectina:


    CALPROTECTINA FECAL
    110,00
    mcg/g

    Método :
    Imunoensaio Enzimático (Elisa)
    Material:
    FEZES
    VR:
    Menor ou igual a 200 mcg/g

    ---------------------

    O que eu não consigo enteder, é que no meu resultado(exame realizado no Sabin) deu 110 mcg/g, mas o valor de refêrencia que eles utilizam é de 200 mcg/g. Afinal qual é o valor de refêrencia, 50 ou 200?

    ResponderEliminar
  30. Boa tarde

    A calprotetina fecal costuma apresentar-se em ng/ml ou mg/Kg ( ou o que é equivalente em μg/g ), sendo que a conversão do valor da concentração da calprotectina fecal se faz multiplicando-se a concentração em ng/ml pelo factor 2.5 para se obter a concentração de calprotectina em μg/g.
    A concentração referência da calprotectina fecal é de 50 μg/g.
    De referir que a concentração de calprotectina fecal em crianças até 1 ano de idade é substancialmente superior aos valores referência acima dessa idade, não tendo no entanto estes valores elevados qualquer significado patológico nessas crianças.
    Desta forma a resposta à sua pergunta é de que o valor referência para a concentração de calprotectina fecal é considerado ser uma concentração até 50 μg/g.

    ResponderEliminar
  31. Então o valor de refêrencia do laboratorio que eu fiz o exame(laboratorio SABIN, uma rede grande é confiável), esta errado? No caso o valor de refêrencia deles é de 200mcg/g.

    ResponderEliminar
  32. Boa noite

    Eu não posso afirmar que o valor está errado mas posso afirmar que o valor referência para a calprotectina fecal, considerado em toda a literatura da especialidade, é de até 50 μg/g.
    Talvez o melhor seja perguntar o porquê de essa instituição apresenta esse valor referência.

    ResponderEliminar
  33. Olá Boa noite. Minha filha de 9 anos há algum tempo está com diarreia. Fizemos exame de calprotectina deu 1190. Ela não reclama de dor abdominal. Esta com barriga aumentada. Se fosse doença de Crown ela não reclamaria de dor abdominal?

    ResponderEliminar
  34. Boa noite

    Embora a dor abdominal seja um dos sintomas mais frequentes na Doença de Crohn, há casos em que não aparecem.
    De referir que a calprotetina fecal é um marcador de inflamação neutrofílica intestinal e não faz diagnóstico de Doença de Crohn embora apresente uma correlação muito estreita com o índice endoscópico e o índice histológico.

    ResponderEliminar
  35. Olá Boa noite, meu exame de calprotetcina deu mais de 1000 fiquei muito assustado., estou com diarreia a mais de meses, sem dor abdominal, sem febre, há possibilidade de eu ter a doença de Crown mais "amena", qual outras possibilidades de DII?

    ResponderEliminar
  36. Boa tarde
    Calprotetina, bem como qualquer outro exame laboratorial, NÃO faz o diagnóstico de doença de Crohn, ainda que dê uma boa indicação no sentido de esse diagnóstico ser feito, ou excluído, bem como a sua gravidade, uma vez que o diagnóstico de doença de Crohn é feito por endoscopia com biópsia e a correlação do valor da calprotetina fecal é muito forte com os índices endoscópico e histológico e se ter verificado uma forte correlação entre o valor da calprotetina fecal e o grau de gravidade da doença de Crohn. Esta correlação é no entanto menos correcta com a forma ileal.
    Muitas doenças inflamatórias intestinais existenm sendo que doença de Crohn e colite ulcerosa são responsáveis por cerca de 80% dessas patologias. Outras existem como colite linfocítica, colagenose, enterocolite actínica, colite isquémica, várias infecções, etc.
    A sintomatologia que costuma aparecer no caso da doença de Crohn é diarreia, perda de peso, febre baixa, astenia, dor abdominal, perdas sanguíneas macro ou microscópicas, obstrução intestinal transitória total ou parcial, manifestações extra-intestinais ( aftas, artrite, artralgias, entenismo, inflamações oculares, eritema nodoso, pioderma gangrenos, etc) e outras. No entanto, ainda que haja sintomatologia que ocorre quase em todos os doentes, e outra rara, o facto de não se ter este ou aquele sintoma nem exclui o diagnóstico de doença de Crohn, nem dá um grau da sua gravidade na eventualidade de ser esse o diagnóstico. Tanto o diagnóstico como a sua gravidade são feitos pela endoscopia com biópsia mas a calprotetina dá uma indicação muito aproximada dada a grande correlação com os índices histológico e endoscópico. Com um valor de calprotetina fecal superior a 1000 ( qualquer que sejam as unidades utilizadas ) a probabilidade é grande de ser uma doença de Crohn mas casos raros ( neste caso a não confirmação de doença de Crohn ) também podem suceder.

    ResponderEliminar
  37. Boa noite meu exame de calproteina deu alterado p cima. Estou c diarréia a suspeita do meu médico é DII. Ele disse da Crown e retocolite. Qual a diferença entre elas?

    ResponderEliminar
  38. Boa tarde
    Ambas as doenças referidas são DII mas diferem em muitos aspectos como etiologia, manifestações clínicas e histológicas, atingimento orgânico, tratamento ou prognóstico entre outros.
    Em traços gerais digamos que enquanto a doença de Crohn pode atingir todo o tubo digestivo e mesmo, frequentemente, afectar órgãos extra-tubo digestivo ( olhos, articulações, pele, etc.) e pode atingir toda a espessura do tubo digestivo, já a colite ulcerosa, ou retocolite, afecta apenas a mucosa e apenas atinge o cólon, não se estendendo para outros órgãos do corpo humano nem para as camadas mais internas da parede do tubo digestivo.
    O objectivo deste blogue é o de falar sobre a doença de Crohn e por conseguinte aquilo que pode encontrar nele sobre colite ulcerosa é relativamente mais escasso mas, no entanto, talvez seja do seu interesse ler os posts em:
    - www.ddcnovasprespectivas.blogspot.pt/2012/11/algunsaspectos-da-doenca-de-crohn_18.html
    - www.ddcnovasprespectivas.blogspot.pt/2012/12/doencade-crohn-doenca-de-crohnfaz-parte.html

    Espero ter sido útil.

    ResponderEliminar
  39. Boa tarde, gostaria de tirar uma dúvida, meu exame de calprotectina fecal deu 313, então meu gastro me pediu uma colonoscopia, pois o mesmo suspeitava de colite, peguei o resultado hoje, e não deu nada, está tudo normal, mas eu já estou com problema gástrico a 2 e meio, e já emagreci 23 kg, minha endoscopia deu pancastrite erosiva acentuada, o que eu posso ter com o positivo no exame de calprotectina fecal, grato!!!

    ResponderEliminar
  40. Boa tarde
    Como já foi referido a interpretação de um valor alto de calprotetina fecal é a de que existe uma inflamação intestinal neutrofílica e não de existência de uma doença orgânica intestinal. A endoscopia apenas revelou ausência de patologia a nível do cólon o que não significa que noutra zona do tubo digestivo não a exista e seja a causa desse seu aumento do valor de calprotetina fecal, o que aliás pode ser o seu caso com a pangastrite erosiva e eventualmente outra a nível do jejuno e/ou ileum.

    ResponderEliminar
  41. Ola b tarde a dois anos e meio atrás tive um quadro de diarreia e emagrecimento em seis meses foram 8 kilos fazendo uma colo deu colite em todo colon a medica na época sugeriu um estudo podendo ser uma possível doença de crohn.. Tive um digo ano passado meio tranquilo com crises pequenas , porém este anos as crises aumentaram com duração mais longa, em cima disto fiz uma serie de exames colo, tc exames de sangue asca e pança e capsula endoscopica todos eles foram negativos. Porem existe dois exames que sempre estão alterados um e meu ige que sempre esta entre 1900 a 2200e o outro calprotectina que a um ano atrás me deu 212 em março desse ano deu 479 depois em junho 154 e agora estou para fazer mais as fezes minhas saindo pastosas e quentes deve testar numa faixa de um 300. Minha pergunta com estes parametros e crises aumentando indica que pode ser o crohn, sendo que médicos batem em alergia alimentares outro em uma colite eusinofílica

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa tarde

      A doença de Crohn ainda que possa dar esses sintomas é uma doença descontínua, isto é, há zonas afectadas e zonas totalmente sãs pelo que o facto de ter colite em TODO o cólon não está de acordo com a aparência da lesão do cólon na doença de Crohn onde aparecem úlceras e mucosa inflamada entremeada com mucosa totalmente sã. A colite eosinofílica é outra DII e pode explicar a sua sintomatologia clínica e laboratorial.
      De todo o modo esta minha sugestão de explicação não substitui de forma nenhuma o que o seu médico lhe possa dizer pois ele é que está em posse de todos os dados clínicos e laboratoriais e inclusivé, e mais importante, tem o doente na sua frente.

      Eliminar
  42. Bom dia,fiz uma coloscopia não apresentou nada,apesar que não foi retirado nenhuma amostra pra biópsia,acabei fazendo uma calprotectina e o resultado foi 205,0 ug/g,e estou tomando o medicamento mezacol como solicitado pelo médico,só que comecei a tomar o medicamento antes mesmo de fazer a calprotectina

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa noite
      O valor da concentração de calprotetina fecal que refere é acima do valor de referência mas isto não significa ter uma doença de Crohn. A calprotetina sobe por uma doença qualquer que cause inflamação neutrofílica e isto não acontece apenas nos casos de doença de Crohn nem das doenças inflamatórias intestinais, havendo outras que podem fazer subir a concentração da calprotetina fecal. No entanto se a clínica apontar para doença de Crohn este resultado da calprotetina fecal reforça essa suspeita mas o diagnóstico de certeza apenas se faz por endoscopia com ou sem estudo histológico.

      Eliminar
  43. Boa tarde! Fiz uma colonoscopia que constou Ileíte Crônica Moderada, porém o Gastro pediu um exame Calprotectina Fecal no qual o resultado foi 897 mg/g, gostaria de saber se isso fecha o diagnostico para Doença de Crohn.

    ResponderEliminar
  44. Boa noite
    O diagnóstico de certeza de doença de Crohn é feito por exame endoscópico com ou sem exame histológico mas outros exames podem dar uma indicação muito aproximada, estando neste caso o doseamento de calprotetina fecal, que no caso de atingimento único do ileum é menos acertivo do nas outras localizações, embora isto se aplique particularmente à exclusão do diagnóstico, ou seja, um exame analítico de calprotetina pode ser negativo e o doente ter efectivamente doença de Crohn ileal. No seu caso isto não se verifica pois tem um valor positivo. De qualquer forma há situações patológicas outras que não doença de Crohn que fazem subir a concentração de calprotetina fecal. Em suma, embora o seu resultado possa ser explicado pela existência de uma doença de Crohn apenas pelo valor da calprotetina fecal não se pode dar a certeza absoluta de efectivamente o ser pois esta certeza é apenas, actualmente, conseguida pelo estudo endoscópico.

    ResponderEliminar
  45. Bom Dia,
    tenho Crohn e meu PCR esta em 20,34. Isso significa que a doença esta bem ativa ne!? porem nao estou me sentindo mal

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa tarde.
      Uma concentração de PCR de 20.34 mg/l não é uma concentração muito elevada e há muitas outras situações patológicas que fazem subir a PCR sem nada terem a ver com a doença de Crohn. De qualquer forma a correlação entre concentração de PCR e clínica da doença de Crohn não é sempre estreita, havendo mesmo o caso da doença de Crohn ileal que nem cursa com aumento de concentração de PCR. Há outros marcadores mais fidedignos como a calprotetina fecal que, essa sim, tem muito boa correlação com o índice endoscópico e histológico da doença de Crohn.
      De qualquer forma um valor dessa ordem para a concentração de PCR não é muito elevado.

      Eliminar
  46. Prezado Horácio,
    Existe correlação direta entre valores elevados de calprotectina com o grau de gravidade da Doença de Crohn? Isto é, quanto mais elevado, mais grave a doença? Os doentes de Cronh com níveis baixos ou normais de calprotectina seriam aqueles que teriam a doença em níveis mais brandos? Obrigado!

    ResponderEliminar
  47. Boa tarde
    É isso mais ou menos mas não totalmente. A concentração da calprotetina fecal correlaciona-se muito fortemente com os índices histológico e endoscópico, ou seja, com os índices que efectivamente se correspondem com a presença ou ausência de doença e o seu grau de gravidade. Isto só não é assim em 100% porque por vezes doentes com valores de calprotetina mais elevados do que outros apresentam uma gravidade de doença menor do que outros com valores de calprotetina mais baixos, embora isto por regra não suceda. É a questão que sempre se põe na Medicina:" nem sempre nem nunca " uma vez que "há doentes e não doenças". Com excepção destes raros casos, sim, é verdade que os doentes com níveis mais baixos ou normais de calprotetina seriam aqueles que teriam a doença em níveis mais brandos.
    Há ainda que ter em atenção que a doença de Crohn ileal pode cursar com concentrações de calprotetina normais. Há ainda que ter em atenção, naturalmente, que a doença de Crohn sendo uma doença com crises e fases assintomáticas, independentemente da gravidade da doença mostra uma concentração de calprotetina baixa ou mesmo normal nas fases de remissão.

    ResponderEliminar
  48. Fiz o exame de calproctina fecal o resultado deu negativo Mas a nota e de indeterminados devem ser repetido. O que quer dizer isso. Já que eu tenho uma dor na barriga que da em crise muita cólica.

    ResponderEliminar
  49. Boa tarde
    A calprotetina é uma análise muito informativa mas apresenta cerca de 6% de casos em que o resultado é falso negativo. Também na doença de Crohn ileal a calprotetina pode apresentar resultados falsos negativos não sendo para esta localização da doença uma análise tão sensível ou específica como noutras localizações.
    A calprotetina também apresenta um valor algo limitado nas seguintes situações:
    - aquando de uso pelo doente de anti-inflamatórios
    - aquando de uso pelo doente de inibidores de bomba de protões
    - doentes com cirrose hepática
    Para confirmar o resultado terá de fazer outros exames.

    ResponderEliminar
  50. Boa tarde... fiz o exame de calprotetina fecal, tenho 22 anos e o resultado foi 1800 tenho tido sintomas como: cólicas, náuseas e sangue nas fezes apenas quando faço as fezes mais duras... quando moles não sai sangue. Gostaria de saber se voces acham que pode ser a doença de Crohn ou Colite ulcerativa pq estou com esses sintomas desde que comi uma rosca perdida. Mas estou preocupada se Deus o livre pode ser algo mais grave.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa tarde

      A sintomatologia que refere é sintomatologia que pode ocorrer em doenças inflamatórias intestinais a que acresce o valor muito alto da concentração de calprotetina fecal, o que ajuda a apontar para uma doença deste tipo. No entanto apenas AJUDA a apontar e não diagnostica definitivamente pois este diagnóstico definitivo é feito por colonoscopia com observação das lesões conjuntamente com o estudo histológico. No entanto esses dados apontam fortemente para doença inflamatória intestinal e há que estudar seriamente a hipótese.

      Eliminar
  51. Boa tarde , fiz uma colonoscopia ha 5 meses e acusou ulceras no intestino e fiz a calprotectina semana passada acusou 1610 mg/kg , ainda nao me deram um diagnostico definitivo e para piorar tenho uma fissura cronica .. sera Crohn ?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom dia

      Não podendo ser afirmativo posso contudo dizer que esses dados são fortemente indicativos de uma doença inflamatória intestinal.

      Eliminar
  52. Resultado de calprotectina pode dar elevado em criança menor de 5anos? o mesmo esta sob investigação de alergia a lactose e agora a gluten/corantes.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa tarde

      A concentração de calprotetina fecal pode estar aumentada em todas as idades mas até ao 1 ano de idade pode esta alta concentração de calprotetina não estar associada a qualquer patologia

      Eliminar
  53. Boa tarde!
    Tenho diagnóstico de doença de Crohn localizado no íleo terminal há cerca de 2 anos.
    Desde o diagnóstico tenho tomado Infliximabe na dose habitual, sendo que no primeiro ano foi associada a Azatioprina, suspensa após esse período e agora encontro-me em monoterapia.
    Tenho colonoscopia, enterorressonancia e PCR normais, porem sinto cólicas esporádicas e dores articulares leves. Minha Calprotectina fecal tem o valor de 491 ug/g.
    Será que mesmo tendo somente esse marcador teoricamente indicando doença ativa, ela realmente pode estar ativa?

    ResponderEliminar
  54. Boa noite
    A calprotetina fecal não aumenta a sua concentração apenas por doença inflamatória intestinal, havendo outras patologias que a fazem subir. Por outro lado, ainda que a colonoscopia seja o padrão ouro no diagnóstico de doença inflamatória intestinal, e nomeadamente doença de Crohn, isso não significa que diagnostique 100% dos casos pois que a doença de Crohn sendo uma doença que atinge todas as camadas da parede intestinal, pode estar atingindo outra camada que não a mucosa ( camada superficial e única visualizada na colonoscopia ) e assim não ser diagnosticada por endoscopia. A calprotetina, mais que com os índices endoscópicos ou clínicos, relaciona-se muito bem com os índices histológicos pelo que tem a possibilidade de diagnosticar doença activa em camadas mais profundas da parede intestinal. Por outro lado ainda o atingimento da parede intestinal pode passar desapercebido na colonoscopia por motivos vários como deficiente limpeza intestinal pré-endoscopia ou por a lesão estar mais proximal do que pode ser visualizado pela colonoscopia. A enteressonância é mais empregue não para o diagnóstico mas para eventuais sequelas da doença como sejam estenoses. A PCR ainda que seja um bom marcador inflamatório, nas doenças inflamatórias intestinais apenas tem revelado uma sensibilidade que ronda os 50-60% o que faz com que um resultado negativo não seja muito indicativo de exclusão de doença activa apesar de ser um bom exame pois a positividade dá boa indicação e é uma análise muito simples e barata.
    Assim, caso consiga excluir outras causas que façam subir calprotetina fecal, em princípio será de ser tida em consideração a possibilidade de estar a fazer uma crise ou vir a fazer dentro de algum tempo.
    A melhor pessoa mesmo para lhe indicar o que fazer é o seu médico que por certo terá o melhor procedimento no seu caso.

    ResponderEliminar
  55. Boa tarde


    Há uns quatro meses venho sentindo ligeira inflamação no quadrante inferior esquerdo, fiz tomografia que acusou discreta inflamação mesentério superior, colonoscopia acusou discreta inflamação ilio terminal, demais exames sangue, urina normal, o de caprotectina acusou 1800 mcg, bem acima do valor de referência, 200mcg, médico não quis medicar, está acompanhando a evolução ou não do problema,pra um diagnóstico mais preciso, estou preocupado, pois até então sempre tive a saúde boa, gostaria de orientação, que tipo de especialização devo procurar, para um diagnóstico preciso é início de um tratamento se for o caso?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa noite

      A indicação que lhe posso dar é que ou tem confiança no seu médico actual e continua a seguir os conselhos dele ou caso ache que prefira mudar então recorra a um especialista em gastroenterologia pois parece-me ser desse foro a sua patologia. Mas mude de médico apenas se acha que vai ter lucro com essa mudança. Pode de qualquer modo falar com o seu médico e pedir que lhe indique um outro médico para uma segunda opinião médica do seu caso clínico.

      Eliminar
  56. Boa tarde.

    Ando em fase de testes de despistar doenças cronicas.
    Os meus sintomas foram só diarreia com sangue , nunca tive frebres nem outros sintomas da doença de crohn. Fiz uma fibrosigmoidoscopia que o resultado foi só colite
    Recentemente recebi o resultado das analises que deu 1800ug/g
    Será que este resulta significa que tenho a doença?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa noite

      A calprotetina correlaciona-se muito bem com índices histológicos e a doença de Crohn tem a sua localização mais frequente a montante do local que a sigmoidoscopia consegue visualizar pelo que não se pode excluir essa possibilidade, ainda que também não se possa afirmar esse diagnóstico pelos dados que forneceu. Eventualmente será de conversar com o seu médico e saber da possibilidade de fazer uma colonoscopia para estudo de todo o cólon e região ileocecal, regiões mais frequentemente afectadas pela doença de Crohn.

      Eliminar
  57. Fiz o exame:
    CALPROTECTINA FECAL

    Método: IMUNOENSAIO ENZIMÁTICO (ELISA)

    Valores de referência:
    MENOR OU IGUAL 200MCG/G

    Resultado:
    31MCG/G

    Minha dúvida é se o resultado bem abaixo do nível de referência significa que estou com algum problema ou se está tudo bem.

    Grato desde já.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa noite

      Qualquer valor abaixo do valor referência é considerado como normalidade

      Eliminar
  58. Fiz este exame de calprotectina pois ano passado tive sangramento nas fezes, foram três episódios, num intervalo de 15 dias. Nunca mais tive problema nenhum, somente um pouco de muco nas fezes constante, mas sem dor, sem diarréia e nenhum outro sintoma. Minha calprotectina deu 62. Mesmo assim a médica solicitou colonoscopia com biópsia. No exame de imagem deu normal mas na biópsia deu inflamação leve e uma parte moderada nos três pontos: ínicio, meio e fim do intestino grosso. Fiz ressonância do intestino delgado, nada de inflamação. Endoscopia (creio que não fizeram biópsia), sem inflamação. A médica ficou surpresa pela calprotectina ter dado relativamente baixa enquanto a biópsia do intestino demonstrou inflamação ao longo dele todo. Agora estou peregrinando de médico em médico e não sabem afirmar se tenho Crohn ou não. Tem alguma luz para me dar?

    ResponderEliminar
  59. Boa noite
    Ainda que a calprotectina seja um óptimo marcador de doença inflamatória intestinal e nomeadamente doença de Crohn, ela não é infalível e pode mesmo não ser de muita utilidade em situações em que o doente esteja a fazer medicações como anti-inflamatórios, inibidores de bomba de protões ou sofrer de cirrose hepática. Também doentes com doença de Crohn jejuno-ileal podem cursar sem aumento de calprotetina. A colonoscopia com biópsia e estudo citológico continua a ser o padrão ouro para doença inflamatória intestinal e os resultados deste exame são de maior valia do que os obtidos pela calprotetina. O grande valor da calprotetina é ser um exame não invasivo, de fácil execução e fácil obtenção de amostra a analisar e que tem uma correlação quase perfeita com a endoscopia e sendo assim é óptimo para a sua substituição mas nos casos em que os resultados de endoscopia com biópsia e calprotetina serem diferentes, e caso a endoscopia seja positiva, o resultado a considerar como mais correcto é o da endoscopia. Já na situação de endoscop+ia negativa mas calprotetina positiva pode a doença de Crohn ser das camadas mais profundas da parede intestinal e não serem observadas na colonoscopia. No seu caso, no entanto, parece-me ser de valorizar mais a colonoscopia uma vez que se vêem lesões macroscópicas e comprovadas na histologia.

    ResponderEliminar
  60. Gostaria de saber se o marcador de Calprofectina fecal é um dado eficiente em crianças de 2 anos e 9 meses. Tenho lido que este marcador não é eficiente em crianças menores de 5 anos.

    ResponderEliminar
  61. Boa noite
    Após os 12 meses de idade os valores da concentração de calprotetina fecal são de aceitar embora haja situações em que tal não seja verdade como o uso de antiinflamatórios, mas isso em qualquer idade.

    ResponderEliminar
  62. BOA TARDE!!!
    MINHA BIOPSIA DE UM POLIPO NO RETO ESTA ASSIM: OS CORTES HISTOLÓGICOS MOSTRAM FRAGMENTO DE INTESTINO GROSSO COM LESÃO POLIPOIDE CONSTITUÍDA DE EPTELIO GLANDULAR INTESTINAL SEM ATIPIAS, COM DILATAÇÃO GLANDULAR E PRESENÇA DE EOSINOFILIA CITOPLASMÁTICA FOCAL, ALEM DE LUMES GLANDULARES COM FORMATOS IRREGULARES. O CÓRIO TEM EDEMA E INFILTRADO LINFOCITÁRIO ACENTUADO.

    POR FAVOR O QUE ISSO SIGNIFICA?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa noite

      Esse tema não se refere ao abordado por este blogue, embora me pareça que a situação não seja de preocupar, pelo que terá de ser questionado noutro local destinado à anatomopatologia da patologia em questão

      Eliminar
  63. Por gentileza, qual a idade média para o surgimento das doenças inflamatórias intestinais , crohn e retocolite, ou não existe faixa etária e qualquer um pode desenvolvê-las.Muito Obrigado

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa noite
      As DII podem aparecer em todas as idades embora haja 2 grupos etários mais afectados e que são o grupo etário 20-30 anos, que é o mais atingido, existindo também uma moda no grupo etário 55-65 anos

      Eliminar
  64. gastroenterite viral pode evoluir para crohn ou retoculite.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa noite
      Não se conhece a etiologia das doenças inflamatórias intestinais havendo várias teorias sobre o facto mas ainda não confirmadas. Gastroenterite viral não está incluída nas causas etiológicas das DII, sendo contudo considerado como possível que sejam causa de síndrome do colon irritável, que NÃO é uma DII.

      Eliminar